Bispo evangélico é condenado a 20 anos de prisão; saiba o que ele fazia com uma adolescente

O acusado está preso desde o ano passado e a pena foi agravada.

O bispo evangélico João Batista dos Santos foi condenado a 20 anos e 6 meses de prisão pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal, ele é acusado de abusar de uma adolescente de 13 anos.

De acordo com as autoridades, a pena do líder religioso foi agravada porque João Batista exercia autoridade sobre a garota, uma vez que era bispo de uma igreja evangélica n Gama. Sendo assim, a Vara Criminal do Recanto das Emas decidiu que houve continuidade dos abusos por diversas vezes.

Em 2017, o acusado atuava como bispo de igreja evangélica e foi então que conheceu a menina. A partir daí criou-se uma relação de confiança entre eles e também de proximidade. O MPDFT revelou que antes dos abusos começarem, o acusado dizia que amava a vítima e que tinha intenção de se casar com ela.

Quando a menina contou ao líder religioso que era homossexual, ele disse que passaria um óleo no corpo dela para ungi-la e assim deixaria de ser gay. A menina começou a ter crises de ansiedade após as relações com o homem e então contou o que estava acontecendo.

O acusado ia até a casa da vítima para buscá-la, mas dizia aos pais que ela ia é ajudá-lo na realização dos cultos.

Quando o sujeito ficava sozinho com a menina, tirava a roupa dela e começava com os abusos. A defesa do acusado ainda não se pronunciou a respeito.

 

Escrito por Russel Morais

Escrevo notícias sobre o mundo dos famosos, os últimos acontecimentos do Brasil e no mundo, além de curiosidades, dicas, economia, tecnologia.