Grande nuvem de poeira vinda do deserto do Saara pode chegar ao norte do Brasil

Segundo pesquisadores a nuvem está mais densa do que o habitual.

O ano de 2020 será considerado um ano inesquecível para as pessoas do mundo inteiro. A pandemia do novo coronavírus atingiu por igual as pessoas e evidenciou também a vulnerabilidade dos países frente à uma crise sanitária global.

Além do coronavírus, outra ocorrência está deixando alguns países americanos em alerta: uma nuvem de poeira vinda do Saara. Trata-se de um fenômeno natural, bastante comum de acontecer anualmente, devido aos ventos do deserto.

O deslocamento de poeiras do deserto do Saara consegue atravessar oceanos, como o Atlântico, além de mares menores como o mediterrâneo. Ao atravessar o Saara, a nuvem de poeira pode atingir países do continente europeu, americano ou se deslocar internamente pela África.

Segundo a Nasa, que monitora os eventos climáticos de grande escala, uma grande nuvem de poeira está se deslocando do deserto e atravessando o oceano atlântico, onde já atingiu países caribenhos, como Cuba, algumas regiões do México e os EUA.

A nuvem ainda está em deslocamento e pode atingir também o território brasileiro, na altura da região norte do país, alcançando os estados de Roraima, Amapá e norte do Amazonas.

No entanto, as pessoas não precisam entrar em pânico. O que a OMS e os órgãos estaduais de saúde orientam é que se evite sair de casa quando essa quantidade de poeira chegar ao local e que se for necessária a saída, vale a mesma orientação para o caso do coronavírus: o uso de máscaras.

A nuvem de poeira, além de trazer partículas em suspensão, pode trazer também vírus e poluição, o que faz aumentar os casos de problemas respiratórios. Por isso todo cuidado é pouco diante da situação que o mundo está vivendo.


PUBLICIDADE

Escrito por Redator Seguindo News

Escrevo sobre os mais diversos temas. Prezo pela parceria com os publishers. Os divulgadores que precisam de matérias específicas podem solicitar.